28/10/2009

Interpretações das escrituras: Mundo

Os Beatles viraram o mundo de cabeça pra baixo, fazendo o Polo Norte ser Polo Sul. Mas o que realmente eles fizeram ao mundo? Por que são tão elogiados? O que o mundo deve aos Beatles? Isso vai ser explicado (ou tentar explicar) nesse capítulo Mundo.


Mundo
Quando o mundo conheceu os Beatles, todos os olhos se viraram para o quarteto de Liverpool. Todos agora conheciam os Beatles por invadirem os EUA, terem um cabelo super-estiloso, suas músicas serem audíveis a todos os gostos (o que torna o Beatles pop demais), e mais uma porrada de coisas. Tudo isso porque Deus Metal quis assim. Ele estava colocando seu plano de fazer as pessoas se acostumarem a seu som em prática, fazendo os Beatles serem os primeiros soldados de sua palavra. É por esse motivo que Beatles merece respeito, mas apenas isso. Pois afinal, todos sabem que os Beatles não eram lá essas coisas.

As bandas que surgiram depois ouviram os besouros e pensavam: "Essa é a melhor banda do mundo?... Então se eu fizer um som mais pesado que o dos britânicos mauricinhos... eu vou ser o melhor da galáxia!". Foi assim que surgiu o Steppen Wolf. Além do Steppen, um monte de bandas que surgiram depois fizeram a mesma coisa. Assim os Beatles se tornaram a "banda base pra tudo". Tudo praticamente nasceu de Beatles, e esse é o grande mérito que essa banda de mauricinhos britânicos levam depois de tudo. O resto que se fala por aí sobre o Fab Four é apenas consequência da fama que conquistaram devido ao marketing massante e baba-ovos que existiam desde os tempos de Elvis Presley. Vamos ver então o que os Beatles fizeram ao mundo:

- Os Beatles inventaram o videoclipe
Os besouros inventaram o videoclipe porque o público clamava por uma aparição diária dos Beatles na telinha, coisa que eles não poderiam conceder. Então faziam mini-filmezinhos com suas músicas. Então sugiu o videoclipe!!! E uns anos mais tarde Michael Jackson revolucionaria esse conceito de videoclipe transformando-os em curtas cinematográficos...

- Os Beatles foram os primeiros a tocar em estádios
Como os fãs eram numerosos, um show com espaço para 2000 pessoas era pouco. Então foram tocar em estádio aberto. Simples assim. O Shea Stadium ficou lotado.

- Foram os primeiros a transmitir shows por satélite
Na época a TV à cabo não tinha muita coisa que prestava (o que continua até hoje), e ntão, cansados de ver as propagandas da Polishop, os telespectadores puderam ver a banda de cabelo super-estiloso pela TV. Isso aumentava a audiência da emissora em milhões de pontos, algo que a Record nunca vai conseguir.

- Foram os primeiros a gravar uma música infantil
Isto não é uma coisa que alguém pode se orgulhar, pois é muito, muito ridículo fazer isto. Mas o Angra está isento de qualquer reclamação por parte de fãs que não gostarem deles terem feito a trilha sonora para o Cavaleiros do Zodíaco, pois a música é épica! A música infantil dos Beatles foi a "Yellow Submarine', e até já foi uma musiquinha tocada na TV Globinho. Que vegonha, besouros...

- Foi a primeira banda que se separou
....... Isto pode ser considerado uma boa coisa. Alguns deathbangers tr00zões dizem que essa foi a melhor coisa que os besouros fizeram pro mundo. Ninguém sentiu falta quando eles se separaram, não é? Ou sim? Algumas fãs histéricas só choraram quando Paul McCartney casou com a Linda, que aliás não é linda.

O resto que os Beatles conseguiram como... mais CDs vendidos, foi tudo por conta do sucesso exagerado. Mesmo assim os besouros ainda têm um crédito, pois foi a banda base do Rock inteiro, e muitas coisas que existem hoje não existiriam sem os Beatles. Por exemplo: Cachorro Grande, Strokes, Los Hermanos, Skank... só coisa boa.

Ainda viria algo maior que os Beatles... algo muito maior. Algo que faria a revolução que só não tinha sido no tempo da bítoumania porque a banda era certinha demais... o que será, será revelado no próximo capítulo do Antigo Testamento.

27/10/2009

Interpretações das escrituras: Beatles

Nos capítulos do Antigo Testamento, O plano de Odin, Elvis Presley e A Traição de Elvis, vimos que Deus Metal usou certas pessoas como discípulos para criar seu santo e glorioso ritmo. Até que seu primeiro discípulo Elvis Presley lançou uma maldição que contribuiu em boa parte para a destrição do Rock/Heavy Metal. Os reflexos desta maldição estão evidentes no mundo hoje, já que vemos Felipe Dylon tocando Iron Maiden, DragonForce sendo adorado por malditos posers e todos os Quatro Excomungados do Rock fazendo sucesso e fazendo garotas comprarem revistas Capricho.

Mas esta maldição só surgiu a partir da década de 90, e portanto não interferiu no surgimento da banda mais elogiada do mundo: The Beatles. Conheça agora como essa banda foi essencial para o surgimento de todo o conceito de Rock que você conhece.


Beatles
A história começa com Elvis Presley, que fez o Rock And Roll ser popularizado e conhecido no mundo inteiro, e mais especificamente na Inglaterra, que teve uma explosão de bandas de Rock. Depois de um tempo estas bandas britânicas decidiram invadir os Estados Unidos a fim de conquistar fama e dinheiro, já que o mercado musical dominante mundial era (sempre foi) os Estados Unidos. Este fenômeno de bandas britânicas indo à terras americanas é chamado pelos críticos de Invasão Britânica, movimento que durou desde a década de 60 até o fim de 70, que conta bandas como: The Action, The Animals, Badfinger, The Birds, Cliff Bennett, Cream, Pink Floyd, Queen, Donovan, Freddie & the Dreamers, The Kinks, The Yardbirds (Led Zeppelin), The Pretty Things, The Rolling Stones, The Shadows, The The Who e The Zombies. e tem uma em especial que foi chamada de Melhor Banda de Rock do undo, por suas baladas e músicas que encantavam a todos. Esta banda é o Beatles.

Os Beatles começaram quando Paul McCartney, um jovem mauricinho idiota britânico conheceu John Lennon aos 17 anos, que logo ficaram amigos. Mais tarde Lennon revelou que tinha uma banda, onde tocava sem muita pretensão. Paul e John chamaram uns amigos e formaram o The Quarrymen, nome baseado na escola onde eles estudavam: Quarry Bank Grammar School. Só depois de alguns showzinhos eles decidiram levar a banda a sério, e se rebatizaram de The Beatles, nome formado a partir de um trocadilho da junção das palavras "beat" e "beetle" (batida e besouro). Com isto o Beatles tentou achar uma gravadora que os aceitassem, até que conseguiram um contrato com a EMI, onde gravou 2 discos e fez um sucesso considerável no Reino Unido.

Até aí nada de especial, não é? Mas a história começa de verdade aqui: Deus Metal viu a aglomeração de bandas que tinham surgido na Inglaterra, e ficou feliz, pois seu trabalho estava dando frutos, além do que todos seus discípulos tinham descendência europeia (apesar do ideal ser escandinava). Também observou Paul McCartney e viu que ele tinha um certo carisma com o público. Depois viu sua banda Beatles e pensou... "Ñão é bem o que queria... mas está mais bem-estruturado qque a maioria dos músicos que vi. Vou recrutá-los". A consequência desse acordo você sabe: Beatlemania no mundo inteiro, o Fab Four (quarteto fantástico)

Os Beatles foram formados e os álbuns foram lançados, e quem quiser mais detalhes, que vá na Wikipedia. Lá tem os CDs, vídeos e um bando de coisa. MAS, não tem uma: a razão do sucesso dos Beatles, que é uma questão discutida em vão até hoje. Alguns dizem que foi por causa do cabelo deles, a famosa cuíca. Outros já dizem que é por causa de suas baladas e músicas audíveis e agradáveis. Outros já apostam na ideia de que os Beatles simplismente contavam com um alto poder de marketing por parte dos EUA e da gravadora, que idealizaram os Beatles como heróis nacionais, apelidando-os de "fab four" (quarteto fabuloso), instalando assim uma "beatlemania" no mundo. A verdade é que Deus Metal quis que os Beatles fossem influentes na música, e o resto da história é consequência.

Mas a melhor parte dessa beatlemania é a influência que ela causou na Sociedade. Por exemplo: se os Beatles usavam drogas, os fãs iam fumar um baseado que nem os seus ídolos. Os Beatles também eram a favor do amor livre (coisa Hippie), apesar de serem virgens. E o que as pessoas fizeram? Sexo livre! Estes fatos acontreceram ao mesmo tempo que o álbum "Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band" foi lançado, em 1966, ano também em que o Movimento Hippie foi consolidado. Mas isto é assunto para outro capítulo. O que importa é o impacto que o Beatles fez na sociedade tradicionalista dominada pela classe média. Isto também estava nos planos de Deus Metal no seu 1º plano de ação:

"Sua música deveria influenciar as pessoas a tomarem atitudes que seriam "proibídas" ou rotuladas erradas pela sociedade, sociedade que oprimia e não aceitava nada além das tradições idiotas de moral e bons costumes".

E este plano estava sendo cumprido com sucesso, na verdade até mais rápido que Deus Metal pensava. O que dá margem à teoria de que os jovens já queriam uma revolução a muito tempo, e só não o fizeram por falta de oportunidade. Realmente, o mundo estava desesperado por Rock...

Próximo capítulo: Mundo

22/10/2009

Drogas e algumas drogas

As drogas sempre estiveram presentes no submundo do Rock. As pessoas consumiam drogas mortais unicamente para comemorar o fato de estarem vivas. Já os artistas de Rock consumiam drogas para soltar a mente, para conseguir uma inspiração que não era possível ser achada num estado normal de consciência. E mesmo com aquela velha conversa de que drogas fazem mal, muita gente ainda ganha dinheiro com tráfico e com as drogas legalizadas. Se o Poder estivesse mesmo pensando no bem estar da população ele já teria proibído tudo.

Se bem que as pessoas interessadas arrumariam rapidamente um jeito de consumir as substâncias ilicítas, o que torna a população a principal culpada do uso de drogas.

Mas afinal pra quê alguém iria usar uma coisa que faz mal? Quem sabe...


Motivos para se usar drogas
1. É legal
Este autor não está fazendo nenhuma campanha a favor das drogas, mas os rockeiros que usavam, usavam porque achavam legal! Não se pode mudar a história depois que ela está no passado. Punks, Hippies e Hard Rockers usavam drogas para caramba! Era muito bom quando você cantava "Lucy In The Sky With Diamomds" usando LSD! Era estilo! Vai entender.

2. Ser diferente
Rockeiro que é rockeiro tem atitude. Não a atitude do Pop que é brigar com o namorado e reconciliar com ele depois, mas sim atitude de encher um civil de porrada, tirar as calças dele, sodomizá-lo e deixá-lo estirado no chão. Como a Sociedade falou que espancar um civil inocente na rua é errado, o rockeiro vai fazer isso. Por quê? Porque rockeiro não quer ser apenas um indivíduo nessa merda de sistema onde todos são certinhos e não-usuários de drogas.

3. Fugir da realidade
Existem vários benefícios em sair da realidade, e você pode sair dela pelas seguintes razões:

3.1 Inspiração
Já dizia o episódio de Eu, a Patroa e as Crianças onde Júnior estava com seu amigo tecladista: "Se você quer desinibir a mente, essa é a chave (maconha)". As drogas te transportam para um mundo diferente, onde nada é chato, onde nada é sem-graça, onde tudo é maravilhoso. Se bem que depois que o efeito da droga passa, tudo é depressão, mas isso já é outra história. O importante é que a maioria das músicas da década de 60 não existiria sem as drogas. Então devemos muito a elas por estarem tirando pessoas da Matrix.


Morpheus já dizia: "Tomando ecstasy, você vai estar no País das Maravilhas, e eu te mostrarei até onde vai a toca do coelho. Lembre-se: tudo o que ofereço é a inspiração, nada mais."

Foi dessa fala que surgiu "Purple Haze".

3.2 Válvula de escape
Há muito tempo as drogas são usadas como "a saída" para os problemas, e isso se aplica a rockeiros também. sava drogas para escapar de coisas que o incomodam, como a Sociedade, o mundo, 2012, Aquecimento Global... até parece. Casos conhecidos de pessoas que usavam drogas para fugir dos problemas eram os punks, já que a família não gostava do filho de moicano que ia mal nos estudos e não trabalhava. Assim os punks começavam a beber cerveja pra afogar as mágoas e partia prum baseado depois.

Voltando ao assunto, já vimos porquê rockeiro usava ou ainda usa drogas. Agora veremos como cada droga era usada, já que existem vários tipos, umas vem em pó, outras em formato de cigarro, outras em formato de bala, etc. Vamos ver então as principais drogas usadas por aí pelos rockeiros. Ou não:


As dorgas mais conhecidas
- Cigarro
O cigarro está presente no mundo inteiro e nenhuma pessoa precisa ser rockeira pra fumá-lo, já que é uma droga tão fraca que o máximo que ela pode fazer é bronzear os pulmões e causar um câncer. O mais estranho mesmo é que o cigarro é o único produto no mundo que faz propaganda contra ele mesmo! Eles sempre vem em caixinhas contendo no verso advertências como "cigarro faz mal ao pulmão", ou "cigarro aborta fetos" e outras coisas. Qual é o sentido de você anunciar um produto avisando que ele é ruim? É como se a TekPix dissesse:

"Olha a promoção! Pra pagar a sua TecPix são só várias parcelas infinitas que te acompanham pro resto da vida! E ainda é filmadora, gravadora, webcam, mas não faz nm metade que um celular caro faz! Compre já a única filmadora que não tem garantia de funcionamento!"

Voltando ao assunto... Para o Rock, cigarro é só um passatempo, uma pra frouxos. Rockeiros sempre procuram coisas mais pesadas para curtir...


- Cerveja
Nem parece que é uma droga, né? Mas é. A cerveja é usada em festas, happy hours, baladas e bailes funk, todo mundo usa e não recusa imitações. É perfeita para comemorar festas e afogar as mágoas. Por este motivo não é usada apenas por rockeiros, é usada por axezeiros, forrozeiros, sertanejos (parece que foi ontem que o Leonardo fez a música pro comercial da Bavária... bons tempos!), bregas e outros estilos musicais de macho varão.

Mas vamos admitir: homem não beberia tanta cerveja se não fosse pela associação dela com a imagem da mulher (daí que vem o apelido "loira gelada" à cerva). Muitos homens ficam hipnotizados com as mulheres que aparecem nos comerciais de cerva, seja no futebol de domingo ou depois das 10 horas da noite. Por exemplo: mostro agora uma imagem de comercial de cerveja. Será que você consegue achar a dita cuja?

Se você leitor, viu a cerveja primeiro, você tem mente feminina (este autor que vos fala demorou uns 15 segundos pra sacar que tinha uma cerveja aí, sem zoa). Claro que a associação da mulher com a cerveja é totalmente ilustrativa e comercial, já que mulheres não são azedas, espumantes, amarelas e nem ficam dentro de caixas de isopor cheias de cubos de gelo derretido. No final, a cerveja é considerada um estilo de vida por filósofos como Homer Simpson, com oração e tudo.



- Maconha
A maconha é a droga que mais gera piadinhas e brincadeiras, por ser o alucinógeno mais conhecido. É usada por alguns rockeiros, mas mais pelos hippies que não se tocam que já viramos o milênio. E os que mais usam a maconha são funkeiros, reggaeiros, e outras pessoas que não conseguiram achar uma balinha de rave, e ficaram na maconha mesmo.

Mas fora todas as piadinhas sobre a maconha, ela realmente dá muitas alegrias. Primeiro uma vontade descontrolada de rir, depois uma tonteira, e você acha que está tudo torto ou vibrando, depois vai ficando... louco... até que você... tropeça no seu cachorro de estimação....... mas você não tem cachorrrro..... e você vê que topou num elefante............ aí você tenta se levantar........... um centauro estende a mão pra você.... e.............. você acorda no dia seguinte com dor de cabeça na cadeia.

Triste mas verdade. Sad But True. A maconha é uma erva maligna, e por isso o Rock não a utiliza mais. Em vez disso procura uma coisa mais pesada:


- Cocaína
"Co-co-co-co-co-co-caine!" Cocaína é uma droga que vem em pó, muito confundida com farinha ou sal de cozinha. Ela é ingerida quando o viciado junta uma carreirinha (gíria do nordeste) de pó, pega um canudinho e aspira a carreirinha pelo nariz. Mas agora é sério: este autor já falou de Nova Ordem Mundial, já falou que o Sistema é manipulador, e se o Blogger ler que este autor ensina como ingerir cocaína, este blog vai ser censurado!!! Apesar do Google Tradutor ser uma merda...

A cocaína é uma droga tão droga que até o sentido literal da palavra é usado. Acontece que nenhum gripado de nariz entupido pode dar uma cheirada no pozinho... pelo menos não tão facilmente. Mas o bom é que a cocaína já acabou com a vida de muitas pessoas, mas nenhum rockeiro foi morto depois de acabar sua carreira (to falando da carreira de coca). Então o rockeiro procura uma coisa mais pesada ainda:



- LSD
LSD é uma tirinha de papel que parece aquele chiclete transparente ardente, que sozinho não faz nada, mas se forem dois chicletes ARRRDE!! Além de super-poderes, o LSD dá no usário uma coisa muito interessante que se chama sinestesia: a pessoa troca os 5 sentidos! A pessoa vê o som, cheira o que vê, lambe o que sente na pele, e vê o que cheira! O efeito é altamente estranho e incrível, sendo seguido de cansaço, fraqueza e insônia.

O melhor do LSD é que ele vem em tirinhas bem simpáticas, com figuras e imagens chamativas. Já pensou em se drogar com um escorpião ou um Gato Félix?


Os Beatles até fizeram uma música dedicada ao LSD, a famosa "Lucy in the Sky with Diamonds". Com essa música eles sem querer batizaram o primeiro fóssil humano do mundo, a Lucy! Isso prova que o passado humano é uma droga.


- Ecstasy
Ecstasy é a famosa balinha de rave, e é consumida como se fosse bala mesmo. Imagine que é uma 7Belo, ponha debaixo da língua, espere derreter e pronto: chapado o resto da noite. O ecstasy é tão poderoso que faz a pessoa dançar Eletro Melody (ouch!) por três dias e três noites segidas fazendo várias loucuras: beijar o Garoto-Propaganda-das-Casas-Bahia, tentar dançar break, girar aquele malabaris idiota, tirar a camisa e liberar o cu pra geral, etc.

Mas aí vem os efeitos colaterais que acabam com a pessoa quando ela recupera um pouco da sua sanidade. Primeiro, enquanto a pessoa está dançando freneticamente, ela vê o salão assim:

De repente as luzes da rave emitem uma radiação gama psicodélica:

Então a pessoa quer ir fora do salão para tomar um ar, mas não sabe pra onde ir, pois tudo está confuso.

Mas ela finalmente consegue sair da rave e vê coisas incríveis na rua:


Até a hora em que ela vê um cachorro risonho.... e o medo toma conta dela....

A pessoa fica estarrecida e totalmente descontrolada... o desespero é inevitável....

Até que ela fica em choque.... deitada na rua e tendo alucinações..... Quando de repente vê o OZZY SE APROXIMANDO E FALANDO: "EU VÔ TE MATAR SEU VIADINHOOO!!!"

E por fim, a pessoa morre de susto... trágico.

MORAL DA HISTÓRIA: Não vá para raves. Vá para hordas de skinheads.


- Heroína
Quando um rockeiro injeta essa coisa no corpo, é um sinal que ele irá morrer em breve. Parece piada, mas quando qualquer rockeiro toma heroína, é porque ela vai morrer logo em seguida de overdose! Isso aconteceu com a maioria dos Punks do mundo: Kurt Cobain, que conheceu sua mulher e assassina Courtney Love por causa da heroína, Sid Vicious, que conheceu Nancy por causa da heroína, que depois morreu, e por causa dela Sid se matou... enfim, heroína é uma droga muito perigosa, pois todo mundo que a usa morre logo em seguida. Ironicamente não pela droga, e sim pelo contato com ela.

Mas tem um problema maior sobre a heroína que é: essa droga não é facilmente encontrada no Brasil. Se alguém tiver um contato, ótimo, mas é difícil achar por aí. As únicas heroínas disponíveis pra uso são ex-BBBs e de HQs.


***
Ééééé... este autor que vos fala está fazendo este artigo às 3 da manhã, então ele está louco para terminar logo este artigo. Então vamos retomar as ideias principais do artigo:
  • Rockeiro usa drogas porque quer e foda-se o resto,
  • Morpheus é traficante,
  • Este autor vai ser censurado,
  • Droga é uma droga,
  • Heroína é o atestado de óbito de uma pessoa,
  • E o mais importante: OZZY VAI TE PEGAR!!!
Até a próxima, Vou tomar umas ninfetaminas

08/10/2009

Don't blame us

O tempo passa, as pessoas andam, o Sol brilha e as mulas mancam. E o Rock continua sendo um estilo satânico chamado de satânico. O boato chegou a um nível tão grande de extremismo que certos cristãos estudiosos dizem que sociedades secretas junto com o serviço secreto britânico teriam criado o Rock com o intuito de fazer os jovens se entregarem cada vez mais aos valores satânicos e estimulando o consumo de drogas. A única coisa certa é que desde a ascenção de Black Sabbath, tem sempre um evangélico escroto falando: "O ROQUE É DO DEMONHO!"

Agora vamos a um pouco de desafio às regras e as ideias mundanas? Será possível que outros estilos musicais igrejas musicais também não seriam satânicos por estimularem a rebeldia, ou alguma coisa como... perversão sexual? Resposta: sim! Podemos considerar que o Grupo Evoluído Orgiástico do Funk Carioca, a Igreja Universal Iniciática Pop, a Religião Popular Humanista Para Todos (Forró) são satânicos. Por que não? Essas igrejas sempre promovem o sexualismo, e muitos rituais de magia negra são feitos através de relações sexuais, pois demônios adoram energia sexual - e como este autor sab disso? Estudando.

Então a questão deste artigo é a seguinte: por que apenas o Rock é do Demônio? Por que ninguém fala que o Pop é satânico? E o Reggae que é um estilo a favor da religião Rastafari que usa uma planta alucinógena para alcançar o clímax espiritual? Realmente há muita coisa mal-explicada nessa história. Se pensarmos bem, TODOS os estilos e igrejas musicais tem alguma coisa com o Tinhoso. Então vamos ver os lados ruins e obscuros de cada igreja musical para mostrar que se um estilo de música é demoníaco, a Música é uma forma de Satanás conseguir adeptos à suas ideias! MWAHAHAHAHA!


Grupo Evoluído Orgiástico do Funk CariocaEsta igreja tem um grande número de fieis, e a maioria deles se encontra em seu lugar de origem, Rio de Janeiro. O Funk começou sua história nos EUA, e veio para o Brasil se adaptando com o estilo daqui, surgindo os chamados "melôs" (melodias), que começaram a tocar em bailes. Depois do ano 2000 o Funk roubou o lema do Rock N' Roll, o famoso "Sexo, Drogas e Rock N' Roll", e o transformou em "Sexo, Drogas e Baile Funk", já que nos bailes Funk há meninas perdendo a virgindade e um consumo de drogas liberado.

Não existe nenhuma música de Funk que não tenha as seguintes características: palavrões ou frases de duplo sentido, exposição de valores anti-clericais como adultério e perversão sexual, e finalmente a "coreografia" que as mulheres fazem nas festas orgiásticas que chamam de Baile Funk.

E como se não bastasse, além de desobedecer uns 3 dos 10 Mandamentos (não os que a Igreja fez questão de modificar), o Funk ainda incentiva a pedofilia. Por que os MCs falam a palavra "novinha" sempre nas múicas atuais? Pois é.

Veredícto: o Funk pode ser considerado satânico por estimular a perversão sexual e valores auto-destrutivos a nível de corpo, mente e espírito, como o consumo de drogas e promiscuidade, fazendo assim uma situação de caos, semelhante ao que acontecia em Sodoma e Gomorra.

Parabéns, Grupo Evoluído Orgiástico do Funk Carioca, você é satânico!


Igreja Universal Iniciática Pop
Desde oinício esta igreja vem causando muitos males ao mundo, mesmo com o crescente número de adeptos que conquista. De uns tempos pra cá, o Pop se transformou num ritmo também com apelo sexual imenso, tornando o sexo como tema principal.

Existem várias letras de várias artistas que tem apelo sexual. Por exemplo: a letra de "Buttons", das Pussycat Dolls (note que o nome do grupo tem "pussy" no nome:

Trecho de Pussycat Dolls - Buttons
I'm telling you loosen up my buttons baby (Uh Huh)
Estou te dizendo para abrir os meus botões, baby
But you keep fronting (Uh)
Mas você não é de nada
Saying what you gonna do to me (Uh huh)
Diz o que vai fazer comigo
But I ain't seen nothing (Uh)
Mas até agora, nada

E para completar cada verso as biscates sussurram *uh*, *uumhhmm*, semelhante ao momento que a mulher atinge o orgasmo. Se quiser saber mais sobre a putaria o nível de perversão, acesse "Dissecando letras: Britney Spears - 3".

Se nada disso te convenceu, tente ler a tradução da música "Touch My Body" de Mariah Carey pra ver e ver a que ponto chegamos - aliás, Mariah se daria muito bem como uma mulher fruta como a Ellen Cardoso, vulga (bem vulga) Mulher Moranguinho.

Veredícto: O Pop pode ser considerado satânico por estimular a perversão sexual, tal como incentivar a imoralidade e a total perda de noção, encorajando a busca pelos prazeres humanos e se afastando cada vez mais das doutrinas e mandamentos de Deus.

Parabéns, Igreja Universal Iniciática Pop, você também é satânica!


Irmandade Urbana Contemporânea de Hip Hop
Todo mundo sabe que o Hip Hop é um ritmo evoluído do Rap pra não dizer igual, mas este é mais problemático: seus artistas esbanjam luxo e fortuna, e sempre fazem clipes exibindo cordões de ouro, dentaduras de prata e óculos exóticos de bronze, rubí, ou marfim extraído dos dentes de marmotas da África do Sul.

Além de ser a favor de riquezas materiais, o Hip Hop tem como uma de suas maiores características a contradição: os rappers eram pobres e depois da fama ficaram ricos. E o que eles fazem com o dinheiro que ganham? Desperdiçam! Gastam em carros luxuosos que só usam uma vez, compram 5 mansões que usam apenas no verão, compram os óculos exóticos citados que os deixa parecidos com besouros ou... sei-lá-o-quê...

Por enquanto o Hip Hop é a favor do materialismo, ganância e busca pelos prazeres mundanos. Mas ainda tem mais!

O que tem sendo provado há uns tempos é que os maiores representantes do Hip Hop estão fazendo símbolos que só são usados por sociedades secretas. 50 Cent, Ja Rule, Lil' Wayne, Kanye West, Jay-Z e Nas são os ídolos que foram considerados aliados da Nova Ordem Mundial.

Nova Ordem Mundial é um plano que visa unir o mundo inteiro estabelecendo uma só economia, uma só política e uma só religião, com um só governante: Satanás. As organizações que colaboram para este plano são os satanistas, os governantes e as sociedades secretas, mas principalmente a Maçonaria e os Illuminati.
Se você que leu isso é cético e não acreditou em um pingo do que leu, pouco importa. O que importa é que os maiores rappers da atualidade estão fazendo estes gestos e sinais de sociedades secretas, que segundo estudiosos, são satânicas. Para provar isso, vamos ver o rapper mais exposto a essas especulações, Jay-Z. Ele é apontado como aliado da Nova Ordem Mundial por várias razões:

- Jay-Z criou uma gravadora chamada Roc-a-fella Records, cujo nome faz referência à família Rockfeller, que além de ser uma das 10 famílias mas ricas do mundo, é aponatada como uma das que comandam o andamento da Nova Ordem Mundial.
- Jay-Z fez a Rocwear, uma grife de roupas de arte urbana e cultura Hip Hop... ou quase. Veja só alguns modelos de roupa:

Essas roupas trazem na estampa vários símbolos pagãos e antigos. Inclusive Olho Que Tudo Vê, um símbolo illuminati que representa segundo estudiosos, o olho de Satanás - essa tese é baseada no versículo de Zacarias 11:17.

- Jay-Z é visto constantemente fazendo o símbolo da pirâmide Illiminati, com direito ao olho esquerdo no fundo.

Imagens dizem tudo, não é? Acho que podemos acabar por aqui.

Veredícto: O Hip Hop pode ser considerado satânico por ser a favor do materialismo e prazeres mundanos, que afastam das doutrinas cristãs, além de ser adepto de um plano ardiloso e maligno, a tão chamada Nova Ordem Mundial.

Parabéns, Hip Hop, você é mais um satânico!


Movimento Pacificador da Erva Sagrada do Reggae
O Reggae é uma igreja musical que surgiu na Jamaica a partir do Movimento Rastafari, uma religião que louva Jáh, o deus-mor dos rastas. E o Rastafari se caracteriza como uma religião parecida como o Messianismo, e ainda tem como sua principal característica o uso da folha de maconha. Segundo os fieis, a maconha dá ao usuário um novo nível de consciência (é MAIS OU MENOS isso que acontece!). O Rastafari se justifica pelo uso da maconha com o argumento de que a planta alucinógena teria sido encontrada no túmulo do Rei Salomão.

Mas há algumas inconsistências nos argumentos do Rastafarieismo: esta religião não leva a Bíblia como o livro-base para sua religião, mesmo dizendo que se parece com o Messianismo. Também não existem provas concretas de que a maconha tenha sido mesmo encontrada no túmulo de Salomão, nem na Bíblia e nem em rigistros antigos.

Por enquanto o Raggae é a favor de uma religião falsa que não tem razão de existir. Agora vamos pra outro ponto: Bob Marley, pai do Reggae era adepto do Rastafari e tido como um dos grandes nomes desta religião. Ele é quase um deus, junto com o Leão da Tribo de Judá e Jah. Isso não é mais que idolatria, fazer de uma pessoa um deus.

Veredícto: O Reggae pode ser considerado satânico porque foi feito em cima da religião Rastafari, uma doutrina não cristã, além de estimular o consumo de drogas como uma forma de conseguir um clímax espiritual.

Parabéns, Grupo Pacificador da Erva Sagrada do Reggae, você entrou para o time do mal!


Igreja Ortodoxa Foliona Evoluída do Axé
Essa é a melhor igreja pra falar mal. O Axé é um estilo originário da Bahia, e foi feito com o intuito simples de agitar a multidão. Mas ninguém esperava que o Axé não se tornaria mais do que um ritmo depravado como o Funk e o Pop.

Alguns exemplos da semelhança: o Baile Funk citado no outro tópico é como uma versão da festa promovida pelo Axé: a Micareta. Micareta é um carnaval fora de época que os baianos fazem entre 1º de janeiro a 31 de dezembro. Na micareta tem: uma cantora que canta letras com baixíssimo valor poético, uma super-produção exagerada e inútil (duas influências do Pop) e uma barulheira infernal, dando ar de caos ao evento.

O público que vai na Micareta corre o risco de ser estuprado, roubado, assassinado ou pior: banhado com suor alheio. E além disso (mais ainda?) as pessoas presentes ao evento também ficam sujeitas a contrair doenças venérias ou transmissíveis pelo roçamento das genitálias. Resumindo: Micareta é orgia.

Ah, uma amostra de uma das maiores letras do Axé:

Trecho de Ivete Sangalo - Pererê
Vai pererê, vai pererê , vai pererê, pererê, pererê!
Vai pererê, vai pererê , vai pererê, pererê, pererê!

Pê pê rê rê pê pê pê pê
Pê pê rê rê pê pê pê pê
Pê pê rê rê pê pê pê pê
Pê pê rê rê pê pê pê pê

Axé é um recanto satânico de imoralidade com sua própria Trindade Santa - pra quem pensava que esta igreja musical era desorganizada - onde Daniela Mercury é a Mãe,

Ivete Sangalo a Filha,

e Claudia Leitte, a Alma Santa

A mais santa dessas três é a Daniela Mercury. A outra é bissexual com tendências de lesbianismo, e a outra é metida e já posou para uma revista masculina (não nua, pra preservar a santidade).

Veredícto: O Axé pode ser considerado satânico por guardar as mesmas tradições que as igrejas mais perversas e afastadas de Deus da atualidade, e ainda tem a ousadia de fazer uma Santíssima Trindade, um costume pagão que foi adaptado para esse estilo musical pecaminoso.

Muito bem, Igreja Ortodoxa Foliona Evoluída do Axé, você entrou para a lista das igrejas demoníacas!

***
Por favor, cristãos terroristas, não culpem o Rock como alvo de seus surtos extremistas, tem muito mais igrejas musicais para acusar! Será que finalmente podemos viver numa sociedade sem preconceitos???

.......... não. Enquanto isso este autor vai ouvir um pouco de Rock Cristão - a santa música do demõnho. Conhece o Católlica?

04/10/2009

Mainstream vs. Underground

Originalmente publicado em 04/10/09



"Underground é uma expressão usada para designar um ambiente cultural que foge dos padrões comerciais, dos modismos e que está fora da mídia. Muito conhecido como Movimento Underground ou Cena Underground."







"O Mainstream inclui tudo que diz respeito a cultura popular, e é disseminado principalmente pelos meios de comunicação em massa. Muitas vezes é também usado como termo pejorativo para algo que "está na moda", "modinha", clichê, etc."




Underground é uma palavra muito presente no submundo do Rock, servindo para qualificar qualquer música ou banda não popular ou mesmo desconhecida. Geralmente os rockeiros adoram essa palavra, pois ela representa que rockeiro não gosta de nada que aparece na mídia ou qualquer coisa que a TV obriga o cidadão sem personalidade a gostar. O contrário de underground é o mainstream, que diz respeito a tudo que faz parte da cultura popular, e é do conhecimento de todos.

Rockeiro classifica mainstream como: música pop e artistas pop, não necessariamente da Igreja Universal Iniciática Pop, mas qualquer coisa que os hereges conheçam, como Ben Harper, Paramore, Cine e outros modismos. O mainstream inclusive é condenado na Bíblia do Rock no 4º preceito Never Be Mainstream, e essa regra existe por uma questão histórica:


Origens do underground
Antigamente tudo era mainstream, tirando apenas os artistas que não existiam. Música era uma coisa pra todos. Depois as coisas foram mudando, e o R&B e música pop em geral foram tomando a cena, e nesse momento, a Mídia percebeu que havia mercado àquele tipo de música. Enquanto isso o Rock clássico de Animals, Who e Yardbirds ainda persistia na mídia, já que pegaram a onda dos Beatles. De repente, as vertentes que o Rock criou já não estavam mais tendo tanta repercussão na Mídia, apesar de seus artistas continuarem a ser elogiados. Isso porque: o Rock Progressivo se tornou elitizado, assim como a MPB, e o Hard Rock não era purista o bastante (não era nada purista) para parecer em horário nobre nas rádios e TV.

Desde a década de 70 a Mídia tendeu a ficar do lado do mais popular, e foi assim até os dias atuais. Mesmo na década de 80, em plena explosão do Hard, Glam e Punk Rock, Heavy e Thrash Metal, o mundo se virava à TV pra ver Michael Jackson, Madonna, Tina Turner, Kylie Minogue, Whitney Houston e o nascimento da Religião Artificialista Circuitólica Eletrônica e da Irmandade Contemporânea Urbana do Hip Hop. Com o sucesso do Rei do Pop Michael Jackson, o Rock e suas vertentes se tornaram underground, e assim a música Rock boa assinou seu contrato com o underground.

Com uma exceção: no início de 90, o Movimento Punk foi um estilo mainstream até a morte do Grunge. Agora vamos pensar: os emos, indies e popzinhos de merda imitaram todas as atitudes ditas "punk'. Então haveria possibilidade para que o Punk já estavesse sendo condicionado a uma coisa modinha mais tarde? Bom... acabei de dar um preview do que será o capítulo de Kurt Cobain do Novo Testamento... Enfim, é uma coisa a se pensar. Algum tempo depois do Punk e Grunge, o pop tomou a cena, e o mainstream fechou as portas para o Rock pra sempre.

A cena do Metal continuou crescendo, mas aos olhos cegos do mundo que agora venerava Blink 182 e outras bandas do circuito "underground" chamadas de Pop Punk, que como já visto no artigo "Estudos sobre a Igreja Romancista da EMOção", o Pop Punk foi um dos precursor do Emocore atual, no sentido de influências musicais.

Como o Rock se tornou underground, os headbangers sabendo deste fato, começaram a se refugiar nas trevas do underground, já que era o único lugar seguro no mundo. No underground todos podiam curtir as melhores bandas do mundo, sabendo todas as novas cenas que surgiam, o Power, Death e Black Metal. Algumas vezes estes headbangers voltavam ao mundo normal e viam o que tinha sobrado do Rock na cena mainstream: White Stripes, Rage Against The Machine, o tal do Rock Alternativo que tomou uma cena maior, e um tal de Nu Metal.

A partir dos anos 2000, claro, o Rock já estava morto, sobrando apenas seu espírito que encontrou um lugar no Heavy Metal. Por isso esta Bíblia do Rock fala "Keep The Spirit Alive", pois o Pop usa o corpo do Rock e sua mentalidade para o modo comercial e artificial, esqucendo totalmente do que já foi um dia. O espírito do Rock, este sim, continua vivo, mas não mais no Rock atual.


Preferência pelo underground
É lógico que é ruim só saber uma música de Forró por causa da novela das 8, aquela "você não vale nada mas eu gosto de você". É muito importante e interessante buscar novos estilos, novos horizontes. Depois o cara vai estar agonizando em seu leito de morte e reclamando de si mesmo: "Puxa, eu devia tentar ver aquele canal do Youtube, 'Nuclear Blast Europe', agora nem dá...".

Mas não é apenas pela busca de novos horizontes que o headbanger tem preferência pelo underground, e sim porque o mainstream e a mídia não mostra nada que presta! A rádio por exemplo só tem coisa ruim:
  • Você sintoniza em uma estação e ouve: "ai, ai ai ai ui ui, ai, ai ai ai ui ui, ai, ai ai ai ui ui, novinha tu me seduz".
  • E em outra tem: "Faz amor comigo sem ter hora pra acabar, mesmo que for só por essa noite eu não quero nem saber, quero amar vocêê...".
  • E outra: "Boa tarde a você ouvinte! Agora você vai ficar com o décimo lugar da parada, que você pode ligar votando aqui na rádio, 0(21)8..." Você depois nem tem paciência para ouvir quem ficou no 10º lugar.
  • Então você ouve em outra estação: "Eeuu... tento te esqueceeeer, mas tudo qu'eu escrevuuuu...... é sobre vocêêêêêêêêêêêêêê......"..
  • Até que você sintoniza naquela estação que você ouviu do 10º lugar da parada, e a música era: "Eeuu... tento te esqueceeeer, mas tudo qu'eu escrevuuuu...... é sobre vocêêêêêêêêêêêêêê......"..
Agora, pior que a rádio, só a televisão mesmo. A diferença entre as duas é que na TV, além de ouvir o artista, você VÊ o artista. O McFly foi outro dia aí no Programa do Faustão! A menos que o headbanger tenha acesso ao canal NGT e veja o programa Stay Heavy, o headbanger prefere usar a TV pra jogar videogame. Todos os meios de comunicação estão manchados e contaminados pela praga do Pop, o estilo preferido pelo mainstream. Por isso os headbangers preferem se refugiar nas trevas do underground e não aceitam nada que seja patrocinado ou tenha a trilha sonora na novela das 8. Como dizia o 4º preceito desta Bíblia: "Tudo o que não é underground ou desconhecido é prejudicial..."



O que pode ser considerado underground?Simplesmente qualquer coisa que ninguém hoje em dia tenha o hábito de ouvir. Mas existem vários níveis de underground. Veja:

Underground Nível 0/Mainstream Nível 4: Esse nível não tem nada de underground (por isso é nível 0), e diz respeito a estilos e bandas totalmente conhecidos por todos. É sempre uma boa ideia ver se aquela banda que o headbanger gosta está sendo mostrada na TV e elogiada pela Mídia, pois isso pode mudar a opinião de que a banda é boa NA HORA! SlipKnot era uma banda boa...

Underground Nível 1/Mainstream Nível 3: Tudo o que representar o True Rock e suas origens, como Pink Floyd, Guns N' Roses antes do "Chinese", Lynyrd Skynyrd, ou seja, qualquer coisa que represente o Rock e que ninguém hoje em dia conhece ou escuta, mas pelo menos já ouviu falar, como Metallica e Slayer. Como o mundo de hoje está perdido, muitas pessoas não conhecem nem o Slayer.

Underground Nível 2/Mainstream Nível 2: Para o headbanger, o Nível #1 não é nada. Até os hereges já ouviram falar de Metallica e Slayer. O entendido e verdadeiro conhecedor do Rock pode listar todas as bandas de Metal dos anos 80, como Twisted Sister, Accept, Judas Priest, Anthrax, Venom e outras. O Underground Nível #2 é o básico que headbanger de verdade conhece.

Underground Nível 3/Mainstream Nível 1: Este nível apresenta bandas que os hereges nunca ouviram falar, apenas viram numa camisa de headbanger por aí, como Destruction, Angra, Cannibal Corpse, Vader, Sonata Arctica, Children of Bodon, Hammerfall e outras bandas de Heavy Metal tradicional, Power Metal e Death Metal em geral. Mas para o headbanger, este nível de conhecimento é mediano, e para alguns casos é o suficiente.

Underground Nível 4/Mainstream Nível 0: Ninguém conhece as bandas deste nível, a não ser os True Headbangers. São bandas que ninguém conhece: Hellhammer, Sirenia, Dimmu Borgir, Madame Saatan, Torture Squad, Immortal, Gorgoroth e Black Metal e coisas da Europa escandinava em geral. É até um pecado mostrar essas bandas assim do nada. Qualquer herege pode ver isto e dizer que conhece depois. Mas tudo bem: é só pedir pra ele dizer UMA música de Krisiun que ele não sabe.

Underground Nível 5/Mainstream Nível -1: Se bandas da família de Gorgoroth, como Darkthrone e Behemoth eram o ápice para os headbangers, ainda há mais um nível, o #5. Aqui entram bandas como Dissection, Susperia, Katharsis, Turisas, Mythological Cold Towers, Týr (já imaginou um "y" com acento?), e outras de Viking Metal, Folk Metal, Metal Neo-Clássico, Progressivo e outras vertentes que só de nome já vemos que é underground.

Underground Nível 6/Mainstream Nível -2: Esse nível contém bandas que nem os mais cultos conhecem. Às vezes essas bandas podem ser de todos os estilos, desde o Rock Psicodélico ao Depressive Black Metal (isso existe?). Outro dia este autor que vos fala viu uma banda brasileira chamada Sarcasmo. As bandas que se encaixam nesse nível são... incrivelmente desconhecidas. Se bem que tem um monte com de bandas com nome começando com "necro", "dark", "morbid", e com o final "oth".

Underground Nível 7/Mainstream Nível -3: Este autor que vos fala nunca viu nenhuma pessoa que tenha esse nível de conhecimento. Imagina-se que esta pessoa conheça bandas que nem tem uma página própria na Wikipédia ou as letras no Vagalume, Terra, ou outro site vagabundo. A julgar pelo nível de undergroundismo, o conhecimento que a pessoa adquire se torna uma cultura inútil. Tudo bem saber um pouco mais que a média das pessoas, mas saber que existe uma banda chamada Adastra é realmente uma cultura inútil.


O que fazer para não ser mainstreamComo estamos na era da tecnologia e informação, é difícil não saber que tal banda existe em algum lugar do mundo. Muitos se perguntam a mesma questão desse tópico, pois as bandas quando são mainstream se vendem e perdem totalmente a noção do que estão fazendo, se esquecendo de suas origens. Isso aconteceu com a Pitty, o Red Hot Chili Peppers, Titãs, e outros que agora fazem parte do mercado comercial. Continuar underground na verdade é uma tarefa fácil. Com essas dicas abaixo, que muitas bandas seguiram aliás, ninguém tem o risco de se tornar vendido ou modinha. Confira essas dicas:

Fazer uma capa de CD assombrosa Ninguém quer ver um demônio Baphomet na capa de um CD, não é? Por isso o Behemoth não faz sucesso algum, senão entre os headbangers. Então, não faça uma capa com a foto dos integrantes da banda, e tente fazer uma banda de Death como desculpa pra colocar aquela cruz invertida no meio do logotipo do grupo, ou na capa mesmo.

Fazer uma gravação de baixa fidelidade das músicas
Muitos artistas de Black Metal gravam suas músicas de uma forma precária, ou diga-se "de baixa fidelidade", ou ainda "gravação mal feita", e continuam nas trevas do underground. Se bem que... a baixa fidelidade existia por causa do baixo orçamento que faziam as músicas. Mas no final gravar a música de forma precária é uma boa ideia.

Fazer clipes ridículos ruins
Quem viu essa dica, e conhece os clipes de Rock/Metal riu, mas sabe que no fundo é verdade. Os clipes de Power Metal são muito ruins, de rir! E do Black Metal então? Tudo bem que algumas bandas fazem seu trabalho direito, o Dimmu Borgir por exemplo, mas e o Immortal? Tem o do Iron Maiden, "Holy Smoke" que meu Deus... tem outro do KISS também...

Não aparecer demais na Mídia
Algumas bandas não conseguiram levar esta dica adiante, e muitas delas se tornaram mainstream. Nunca é bom aparecer muito na TV, dar muitas entrevistas em revistas (principalmente a Rolling Stone) e nunca é bom fazer um clipe bom (vide dica anterior). Muitas bandas se "queimaram" demais, até que seus nomes se tornarem manjados, como Metallica, Slayer, e outras, que por conta disso sofreram algumas mudanças no som da banda ou na filosofia, além de críticas dos fãs.

Todas essas dicas são válidas, principalmente a de fazer clipes ruins. Por exemplo, o clipe "Original Of The Species" do U2, o "Life In Technicolor ii" do Coldplay, "Sutilmente" do Skank são clipes muito bem produzidos e com qualidade e tecnologia de última geração, mas o que tem de Rock nesses três? Nada. Mas a mídia quer estes clipes. Então, pra todos os efeitos, as bandas devem fazer clipe ruim, ou abaixo dos padrões estabelecidos pelo mercado.


A tênue linha entre o underground e o mainstreamTodos sabem que existe uma linha muito fina entre o underground e o mainstream, e que bandas underground cruzaram esta linha e nunca mais voltaram. Como exemplo: o Red Hot Chili Peppers. Depois de um longo tempo parados eles fizeram o maior auê antes do lançamento do CD "Stadium Arcadium", falaram que era o melhor da carreira, que se não gostassem do CD não gostavam do Ret Hot, e talz. O CD só teve uma música mais Rock, a "Dani Califórnia", e o resto é merda. Outro artista: Foo Fighters. A banda formada por Dave Ghrol, ex-baterista do Nirvana tocava um Rock calmo e descontraído, até que o clipe "Best Of You" passou até cansar na MTV. Acabou com a banda.

Há um caso mais famoso de um True que cruzou a linha tênue e se tornou mainstream, acabou após isso, e ressurgiu das cinzas como underground novamente. Esta banda é o Nightwish.

O Nightwish é uma banda com voacl feminino muito influente no Metal Sinfônico. Como revelado na artigo "Mulher combina com Rock n' Roll?", a cantora lírica Tarja Turunen tinha um plano maligno para transformar o Nightwish numa banda comercial. Junto com o empresário do Nightwish e marido, influenciaram o líder da banda Tuomas Holopainem a gravar o pior disco da carreira deles: "Once".

O CD "Once" rendeu ao Nightwish uma fama nunca antes conquistada, o que não era bom. O Nightwish não obedeceu a nenhuma dica mostrada acima para permanecer underground, e foi seguindo a vida aparecendo na mídia, sendo uma referência do estilo gótico para o mundo, assim como o Evanescence. A mídia escrota até começou a comparar as duas bandas. O CD "Once" ainda foi otimamente produzido (não que o Power Metal faça CD mal produzido, apenas o Black faz isso) com melodias grudentas, como "Planet Hell" e "Wish I Had An Angel". Este clipe inclusive é muito bom, e ficou um tempão nas paradas do Disk MTV. Isto resultou um desastre musical: um bando de garotinhas posers se travestiram de góticas, imitando sua modinha preferida Nightwish. Isso só piorou depois do lançamento do clipe "Nemo", que fez um escarcéu danado. Digo, armageddon. Por causa do Nightwish e do Evanescence, hoje um monte de patricinhas e meninas sem personalidade alguma usam roupa preta e se acham góticas. O conceito de goticismo foi mudado graças a queda da graça do Nightwish e a heresia do Evanescence - por isso quem é fã do Crepúsculo é gótico hoje. Fazer o quê...

"Fazer o quê", pensou Tuomas, o líder da banda. Ele resolveu tomar uma decisão bem difícil: chutar Tarja da banda junto com o marido dela. Esta decisão seria a mais dolorosa, mas ao mesmo tempo mais correta. O Nightwish então ficou parado e sem vocalista por uns anos, e as garotinhas posers que adoravam o Nightwish logo se esqueceram da banda. Até porque Amy Lee estava fazendo sucesso com a música "Call Me When You're Sober". Depois de um longo tempo, o Nightwish renasceu das cinzas no underground, com a vocalista sueca Anette Olzon. E a notícia boa nem foi a volta do Nightwish, e sim que ninguém percebeu que a banda voltou!

Pra você ver, os valores rockeiros são totalmente diferentes dos valores do pop: quanto mais desconhecido, melhor. O Nightwish lançou três clipes com a nova formação e nenhum apareceu na MTV, nem na Mix TV, na Multishow, em nenhum canal de clipe ruim. No máximo no Stay Heavy! Este autor, como bom rockeiro, também acha que quanto mais desconhecido, melhor. Mas não no Underground Nível 7.


E afinal, o que é melhor?Aí depende. Se você que está lendo é um herege que é controlado pela mídia e não tem personalidade nenhuma, ou coragem para conhecer coisas novas e descobrir sons melhores, é lógico que você vai preferir o mainstream. Seja uma marionete feliz.

Agora, você que é um leitor headbanger, e sabe que música ruim tem por todo lugar, mas que é só buscando novos horizontes que se consegue se desligar dessa sociedade hipócrita, o underground é infinitamente melhor.

Este autor não iria terminar com uma pergunta no ar para o leitor pensar se o mainstream ou o underground é melhor, não é? UNDERGROUND RULZ! Vou deixar uma porta de partida para o underground: Venom... tenha esta palavra em sua mente. Adeusmetal.