01/08/2015

Tribunal do Rock: Green Day é Punk?

Inaugurando mais um salmo, o # Tribunal do Rock vai por em discussão todo tipo de "polêmica" ou tema difícil de ser resolvido. Ele tratará das pequenas dúvidas ou briguinhas que não conseguem ter uma solução certa, ou que foram interminadas por não haver ninguém pra dar um ponto final nisso. E como este autor que vos fala é ocioso (se não fosse, não teria blog), ele quem vai dar um THE END nessas discussões. Com que autoridade ele faz isso? Bom, a que você julgar adequada!

E nessa edição traremos à tona uma grande dúvida que permeia os incautos e até os que se dizem esclarecidos. O tema de hoje é:

Green Day é ou não é punk?
O réu é o Green Day, uma banda que os advogados dizem ser Punk devido à sua atitude, postura e história; enquanto a promotoria diz que não é devido à sua sonoridade e suposta falsidade em suas ideias. Já as testemunhas são os fãs e até artistas, entre eles Marky Ramone (ex-Ramones) e Johnny Rotten (ex-Sex Pistols), que tem peso em suas opiniões - por serem integrantes de bandas punk clássicas, claro.



"Quando você vê bandas como os Dolls ou os Ramones, o Clash ou os Pistols, não há nenhuma como elas. Elas são o ideal. Green Day é ótimo, Rancid é ótimo, então você tem essas novas bandas punk segurando a onda, o que é bom."

"Nem venham tentar me dizer que o Green Day é punk. Eles não são. Eles são plonk e estão pegando uma onda que não está de acordo com eles. Eu acho que eles são copiadores. Na época dos Pistols, o governo era contra você, a polícia queria te pegar. Então, lá estávamos nós, nos defendendo de tudo aquilo, e me irrita que anos mais tarde um bando de babacas como o Green Day apareçam e esqueçam tudo, e junte isso ao nome deles. Eles não são merecedores disso, e se eles fossem punks de verdade, não iriam parecer em nada com o que se parecem"

Bem, de nada adianta ter opiniões se não temos o mais importante: argumentos. E quando você trata desse assunto a alguém que já tenha opinião formada (seja a favor ou contra a banda), o mais raro de encontrar é justamente os argumentos! A pessoa só se deixa ser convencida se for influenciável demais. Por isso este artigo fará o possível para defender sua tese com argumentos... sim, ele já mostrará seu veredito: o Green Day não é Punk.

É, exatamente. Infelizmente este autor não encontrou um jeito melhor de desenvolver o artigo sem dar o veredito de ante-mão. Por isso ele vai analisar todo o histórico do réu e dar suas conclusões ao decorrer do processo, pra no final o veredito ser totalmente concluído e explicado.

Infelizmente, os seguidores fieis da banda já estão com escudos e espadas afiadas e prontas para atacar, pois eles sofrem de um mal que é extremismo. Curiosamente, se eles leem em qualquer lugar que "Green Day não é Punk", eles entendem como "Green Day não é bom", "Green Day é uma merda", "Você é um merda", "Você tem um péssimo gosto musical", "Você não sabe o que fala", "Você é burro pra cacete" e "Sua mãe é uma puta". A raiva traz muitos males, não é? Então, para tranquilizar os defensores, o Tribunal do Rock trabalha com 3 Conceitos Cruciais:
  1. Não será discutido se o assunto em questão é bom ou não. Afinal, todos sabem que gosto é gosto.
  2. Nenhum julgamento será baseado em ideias pessoais ou interesses próprios.
  3. Não haverá distorção de fatos para prejudicar o veredito final.
Então se você fã de Green Day está disposto a não ler o texto com seriedade e ir direto pra caixa de comentários amaldiçoar a existência deste autor e falar de seu orifício anal, considere-se livre para manchar a fama dos fãs da banda.


Dito tudo isso, este autor vai fazer a análise desse caso e não atender as expectativas dos que se encaixam no versículo 22 do primeiro capítulo de Romanos, tanto defensores quanto haters da banda. Mas que conste nos autos que o veredito já está dado: a banda não faz o estilo Punk Rock.

Pra isso ele considerará duas coisas: 1) Se a banda satisfaz as características do gênero musical e 2) Se ela tem as atitudes de uma simpatizante do Movimento Punk. Pois pra quem não sabe, existem diferenças óbvias entre um movimento contra-cultural e um estilo musical (a começar pelas palavras, significados delas, número de sílabas, etc). Analisemos então a primeira acusação: Green Day não tem sonoridade Punk Rock.

Todos concordam que um divisor de águas na carreira do grupo foi sua queda de popularidade iniciada perto da virada do milênio (entre 1997 e 2002), onde ela renasceu lançando este disco mostrado ao lado, que teve como objetivo estar contra o Sistema, o imperialismo norte-americano e fazer críticas ferrenhas à sociedade. O disco conceitual "American Idiot" lançado em 2003 seguiu todas essas propostas, e o grupo foi muito elogiado por sua atitude. Com isso, todos consideraram esse álbum uma obra Punk Rock, pela sua mensagem impactante e suas letras de protesto. Além disso, ele serviu de exemplo pra muitos dizerem que o Punk Rock não está morto, mas continua pulsando e fazendo barulho.

A promotoria pede que analisem obras de bandas clássicas do Punk Rock e comparem às obras do Green Day. Primeiro os clássicos:


Nestas músicas podemos perceber o espírito de rebeldia à flor da pele, com batidas aceleradas que mantém um ritmo constante, não tendo tempo para tomar fôlego. Também percebemos a ausência de solos de qualquer instrumento, com riffs rápidos, agressivos e sujos, além de um certo padrão na sonoridade dos acordes - que inclusive são poucos, uma das marcas registradas do gênero. Também notamos que o som não tem uma boa produção nem polimento digital, que é outra marca registrada do Punk, que é não tentar ser bonitinho e agradável aos ouvidos fracos. A atitude da banda e sua mensagem é toda mostrada na música impactante, que assusta os desavisados.

Agora vamos comparar o Punk Rock clássico ao Punk executado pelo Dia Verde:


Os advogados dizem que a banda mantém as seguintes tradições: poucos acordes e o ritmo constante e letras de protesto. Mas a promotoria alega que isso não é uma regra na banda, pois existem vários casos em que músicas são mais cadenciadas e melancólicas (como exemplo, as da direita). Essa não é uma característica do Punk Rock, pois ele NUNCA faz músicas melancólicas ou que fujam do seu padrão. Por outro lado, as músicas mais agitadas como "St. Jimmy" não são tão rápidas quanto as músicas do Bloco Punk, fato que qualquer pessoa com bons ouvidos pode constatar. No Punk, todos os instrumentos são tocados juntos, na maior força e agressividade possível, uma marca que também é inexistente no Green Day, onde todos ficam presos ao ritmo mais ou menos ágil e sem a ousadia que machuca os ouvidos.

Outro detalhe atenuante é o som polido e bem produzido executado pela banda, outra característica conflitante com o Punk Rock tradicional. O gênero busca tocar poucos acordes e não ser bem produzido para mostrar que quer ir na contra-mão da Música agradável e assimilável, que é o que a spessoas procuram naturalmente e automaticamente. Tomemos como exemplo o Sex Pistols, que nem sabiam tocar instrumentos quando iniciaram as suas atividades. Esse tipo de atitude respeita o espírito do Punk Rock, que não exige que você saiba de teoria musical pra executar sua obra. O objetivo é fazer barulho, chocar, mexer, não atender às expectativas das pessoas comuns, fugir do normal, não tentar ser "bom" e não se importar nem um pouco com isso. Já o Green Day agrada todo tipo de pessoa, e ainda toca seus acordes limpos com clareza e sem agressividade, apenas com agilidade e nunca exagerada. Em matéria de rebeldia e rapidez, ela fica um pé atrás das bandas de Punk Rock clássicas.

Visto que a diferença sonora é visível no Green Day que apresenta um som polido e bem-produzido, assimilável e sem exaltações ou exageros, a banda não atende aos requisitos do Punk Rock e não captura sua essência em todo. Quase chega lá, mas não é suficiente pra ser considerado Punk.

Os advogados protestam:

Os advogados sempre apelam pra esse argumento: antes era melhor, antigamente era Punk de verdade, hoje em dia se perdeu, se vendeu e blá blá blás equivalentes. Esse argumento existe porque antes da banda cair no ostracismo em 1997, ela lançava álbuns que seguiam sempre um padrão na sonoridade, sendo este seu "normal". O "American Idiot" é considerado pelos "vanguardeiros" como uma mudança na proposta sonora da banda, e que antes ela realmente executava Punk.

A promotoria começa seu argumento perguntando: quantos fãs de Green Day realmente gostam da antiga fase da banda? Por que os "old-school" só aparecem quando alguém constata com razão que a banda não é tão "punk" atualmente? Sabemos que a maior parcela de fãs da banda são os fãs da fase pós-"American Idiot", enquanto a outra minoria (fãs da banda há mais tempo) tem como seu favorito o "Dookie", lançado em 1993. Outros como "Insomniac", "Nimrod" e os outros dois anteriores servem apenas para confirmar que a banda executava Punk de verdade, segundo os fãs. Pois bem, vamos ver a banda em sua fase old-school:


Admitamos: a banda está mais ágil e enérgica por conta dos riffs um tanto mais arrastados e uma presença maior da bateria. O instrumental é bem executado, não é melodioso como atualmente, porém ainda não tem a energia costumeira do Punk Rock, a agressividade e a atitude. Chega quase lá em certos momentos, mas os acordes, a sonoridade e certos andamentos ainda não fazem o estilo. Parte considerável disso vem da voz de Billie Joe, que não é nada agressiva, arrastada ou gritada, totalmente anti-punk. Isso que é o Punk Rock do Green Day?

Este autor diz o que é isso: Pop Punk. Pop Punk (também chamado de Punk Californiano) é um subgênero do Punk Rock que é marcado pelas mesmas técnicas usadas no Punk (poucos acordes, músicas curtas, agilidade e força), mas com uma sonoridade mais agradável e assimilável pelas pessoas, que não machuca de verdade. Aqui se perdem os riffs arrastados, batidas sujas da bateria e o timbre do vocalista que não é agressivo e muito menos rasgado. A diferença é essa: perda da rebeldia. Enquanto você não consegue ouvir Exploited nas primeiras audições e precisa se acostumar ao som, o Green Day passa como um assobio. Você nem tem estranhamento ao ouvir algo como "When I Come Around", e essa não é a proposta do Punk Rock de verdade. Mas é essa a proposta do POP Punk, um estilo para pessoas frágeis e que não tem agressividade interior suficiente pra ouvir algo tão nocivo e repulsivo quanto GG Allin ou Garotos Podres, preferindo coisas agradáveis e limpinhas como Offspring e NOFX.

Assim está provado que o Green Day nunca foi Punk de verdade, mas sempre foi uma banda que tentou, tentou e não conseguiu captar o real espírito desse gênero. O que vocês tem a dizer sobre isso?


Que covardões! Fugindo do assunto! Tsc tsc tsc. Os advogados podem alegar que o Green Day faz seu próprio estilo de Punk Rock, colocando novos elementos e fugindo dos padrões e blá blá blá... INDEFERIDO. Porque se você colocar uma cama em cima de outra cama, ela se chamará beliche, não continuará se chamando "cama". Ou seja, se você coloca um elemento diferente em algo, você terá por obrigação que chamar essa coisa com um outro nome. Pra entender mais sobre nomeação de estilos, leia este artigo: Catequizando: Gêneros musicais.

Agora passemos para a próxima acusação: Green Day não tem postura de um ativista do Movimento Punk. Será mesmo? Por que nós vemos esta nova fase da banda e ela se mostra sempre engajada em política e até em meio ambiente, e suas letras sempre são profundas...


Os advogados dizem que os seus últimos álbuns conceituais e sua postura pacifista e ideais são marcas de alguém engajado e idealista, por isso um representante do Movimento Punk.

Os promotores discordam por várias razões. Primeiramente eles consideram que o Movimento Punk é derivado do seu estilo musical, e por isso as pessoas e bandas devem obrigatoriamente gostar do estilo e simpatizar com ele pra fazerem parte desse Movimento.

Esse tipo de condição é necessária para separar bem as coisas e deixá-las bem determinadas. Pois veja: uma pessoa pode ser anarquista e não gostar de Punk Rock. Nesse caso, por que ela seria considerada parte do Movimento Punk se não gosta desse estilo musical? A pessoa pode defender as mesmas ideias do Movimento Punk: anarquismo, igualdade social, defesa das minorias discriminadas, ausência de Estado, e tudo mais. Mas, se ela não gosta de Punk Rock, ela não deve ser considerada parte desse Movimento. Ela só vai ser chamada de esquerdista, não punk.

No caso das bandas, elas também podem ter esses mesmos ideais esquerdistas e gostar de um punkzinho de vez em quando, MAS devem tocar esse estilo musical pra se dizerem parte do Movimento. Pois se não haver esse tipo de condição, bandas como Linkin Park, Rage Against The MachinePearl Jam, U2, Sting, Coldplay, System of a Down e outras simpatizantes de ideais humanistas seriam consideradas Punk automaticamente.

Resumindo, fazer letras de protesto e ser simpatizante de movimentos humanistas e esquerdistas não é suficiente para se denominar um representante do Movimento Punk. Por isso não podemos considerar o Green Day um integrante do Movimento, pois já foi provado anteriormente que ele não executa o gênero musical.


Calma banda, vocês são politizados, só não podem se considerar parte de algo que não são. Um "achismo" não pode superar os fatos.

O juiz está quase batendo o martelo para dar essa discussão encerrada, mas a promotoria tem questões que quer deixar em registro. Ela quer questionar o quanto a banda realmente acredita no que diz, ou se toda a sua atitude é apenas pose ou não.

A promotoria considera muuuuito estranho que uma banda que se diz tão séria e cabeça tenha um apelo tão grande pela imagem. Pois todos sabem que ela gosta de cabelos bem-tratados e roupas vistosas - inclusive o estilo de roupa social e gravata sem terno, que foi um estilo estético lançado por ela que fez muito sucesso entre os fãs e a moda em geral. E Billie Joe também não dispensa um lápis de olho...

Advogados: Protesto! O que uma banda tem na imagem não altera seu conteúdo!

Promotores: Mas achamos no mínimo inadequado que uma banda se diga tão revolucionária e engajada goste tanto de aparecer em revistas femininas, pôsters, fazendo caras e bocas e nunca tenha dito abertamente em nenhum veículo de comunicação que é de esquerda ou defende um ideal libertário, ou mesmo o anarquismo ou socialismo; só diz que quer um mundo melhor e todo tipo de clichê que já estamos cansados de ouvir! Nenhuma banda punk na história teve essa atitude tão passiva! Acreditamos que tudo isso é pose, uma estratégia de marketing, pois todo mundo adora alguém que se diga revolucionário! Tudo pela imagem!


Advogados: Protesto! A banda faz isso pra se divulgar (de um jeito duvidoso, é verdade), mas no fundo faz tudo isso aproveitando da Mídia pra espalhar suas ideias! Porque é muito mais fácil espalhar suas ideias e dizer o que pensa com gente disposta a mostrar isso! O Green Day só aproveita essas oportunidades!

Promotores: Além da banda adorar vender sua imagem e pose de revolucionários, seus fãs fazem a mesma coisa: posam de rebeldes e não fazem nada na vida real! A maioria nunca ouviu falar de esquerdismo e nem consegue discutir política ou sociedade, só consegue vomitar senso-comum! Só gostam de posar com suas camisas do Green Day na rede social que for e dizer palavras de ordem genéricas que não saem disso: palavras! Cadê os atos?! E o que a banda fala sobre isso?


Advogados: Eles não precisam provar nada pra ninguém! Dane-se quem não acredita na causa deles! Eles estão fazendo seu trabalho e nós apoiamos e também lutamos por um mundo melhor como eles!

Promotores: Então provem como vocês fazem isso!

A discussão está encerrada. Com base nas evidências sonoras e intrínsecas apresentadas, a análise das provas prova uma conclusão: a banda Green Day não é Punk em sua sonoridade nem em atitude, devido ao primeiro fator. Não foram consideradas as qualidades e defeitos da banda em sua sonoridade, mas a promotoria se excedeu ao questionar suas atitudes.

Promotores resmungando entre dentes: E os fãs ainda dizem que gostam de Punk sem conhecer nem Bad Brains ou Ratos de Porão! Preferem Paramore! É dose...

A promotoria ganhou. O acusado é culpado de mentir pro seu povo e plantar na sua mente um conceito errado - que nesta Bíblia nasceu desde o post "O legado Punk" e se alastrou até uma das suas últimas postagens no Facebook. Este autor espera que agora os fundamentos do Rock e Punk estejam bem determinados e explicados, e não deturpados como sempre é. E se você não gostou do veredito, você pode clicar aqui e injetar a alegria necessária para esta postagem e pra todo esse site.

O próximo post dessa série não será tão herege, para nossa alegria. Adeusmetal \m/

2 comentários:

  1. Não é punk mesmo, punk de verdade é Ratos de porão, garotos podres, Dead Kennedys, Sex pistols, a banda é boa, tem varias musicas legais, mas não é punk mesmo!!
    Quem curte umas camisetas de banda, da uma ligada nesse site, altas peita massa!! https://mrdylan.com.br/227-punk-rock

    ResponderExcluir
  2. Green Day é uma merda com aquele vocalista com voz enjoativa e aquelas musiquinhas de bicha! Banda Punk não é capa da revista capricho, p%@#! Viva Sex Pistols! Viva o Ramones! Os Stooges! Até o Clash,com seu som mais produzido no London Calling consegue manter a atitude Punk-Rock que os consagrou! Se Green Day é Punk, Evanescence (outra merda) é Heavy-Metal!

    ResponderExcluir